Jogando mal, Santa Cruz empata com Lagarto, mas se classifica ao mata-mata da Série D

 Foi emocionante. Neste sábado (16), o Santa Cruz recebeu o Lagarto em partida válida pela Série D do Campeonato Brasileiro. Jogando mal, a Cobra decepcionou os milhares de tricolores presentes no Arruda e empatou, com gol de Hugo Cabral, em 1 a 1. Apesar do desempenho ruim, o time comandado por Marcelo Martelotte conquistou a vaga no mata-mata da competição.

No próximo final de semana, o Santa Cruz recebe, no seu estádio, o Retrô. A Fênix de Camaragibe terminou a fase inicial na liderança do Grupo A3 e, por isso, decidirá com a Cobra, quarta colocada do A4, o jogo de volta em casa. Provavelmente, na Arena de Pernambuco.


O JOGO

Antes do apito inicial, a atmosfera nas arquibancadas do estádio do Arruda irradiava insegurança. Afinal, os 14 mil torcedores presentes no Mundão sabiam que a missão da tarde deste sábado não era fácil. Com a bola rolando, isso ficou muito claro. E não custou muito tempo para a ‘decisão’ se tornar ainda mais angustiante.

Aos 7 minutos da etapa inicial, o Lagarto, líder do Grupo A3 e classificado com antecedência ao mata-mata da Série D, abriu o placar. Em lance marcado por uma falha do sistema defensivo coral, o lateral Márcio Duarte cruzou e Neto, livre de marcação, finalizou de cabeça para colocar o time visitante em vantagem no Arruda.

Daí em diante, foram instantes de inquietação. Erros de passe, na marcação, na tomada de decisão final. Tudo isso deixava a torcida coral ansiosa. No ápice do nervosismo, veio, porém, a tranquilidade. Aos 45 minutos, Matheuzinho fez grande jogada pelo lado direito, levou à linha de fundo e cruzou 'na medida' para Hugo Cabral finalizar de cabeça e deixar tudo igual no Arruda. Em seguida, o árbitro terminou o primeiro tempo.

SEGUNDO TEMPO

Para os 45 minutos finais, o treinador Marcelo Martelotte optou por manter o time. Já Givanildo Sales tirou o camisa 10, Davi Ceará, e entrou com Diogo. Mesmo assim, o cenário permaneceu similar ao do primeiro tempo: muitos erros e poucas construções de jogadas.

Faltando 15 minutos para o término do jogo, Martelotte tirou de campo o improdutivo Rafael Furtado e acionou o contestado Raphael Macena. Além disso, Matheuzinho, que deu a assistência do gol coral, foi substituído por Lucas Silva. Era a hora de retomar as rédeas do jogo.
 
Apesar disso, os instantes finais foram repletos de emoção. E o torcedor coral, que não tirava o olho do jogo entre Juazeirense e CSE, viu o Santa Cruz se classificar ao mata-mata por muito pouco. 

FICHA DE JOGO

Santa Cruz

Jefferson; Edson Ratinho, Luan Bueno, Alemão e Ítalo Silva; Daniel Pereira, Wescley (Arthur) e Tarcísio; Hugo Cabral (Fabrício), Matheuzinho (Lucas Silva) e Rafael Furtado (Raphael Macena). Técnico: Marcelo Martelotte

Lagarto

Adilson; G. Lucena, Davi, Júnior Goiano e Márcio Duarte; Natan (Victor Garcia), Felipe Jacaré e Davi Ceará (Diogo); Neto, Bruninho (Ricardinho) e Cleiton (Netinho). Técnico: Givanildo Sales

Local: estádio do Arruda
Arbitragem: Thiago Luis Scarascati (SP)
Auxiliares: Bruno Chaves Vieira e Karla Renata Santana (ambos PE)
Gols: Neto aos 7’/1ºT (LAG); Hugo Cabral aos 45’/1ºT (SCFC)
Cartões amarelo: Matheuzinho (SCFC); Jacaré (LAG)
Público: 14.275 torcedores
Renda: R$ 267.150,00

 

Post a Comment