Covid-19 Pernambuco e Recife anunciam que não exigirão receita médica para vacinar crianças de 5 a 11 anos

 Os anúncios foram realizados nessa sexta-feira (24) e seguem a decisão do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). O presidente do Conselho, Carlos Eduardo de Oliveira Lula, divulgou, em carta, que os estados não vai exgir pedido médico para a vacinação de crianças.

O posicionamento dos secretários de Saúde contradiz recente declaração do presidente da República, Jair Bolsonaro, que defendeu o uso de prescrição para imunizar o público dessa faixa etária.

Na última quinta (23), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, seguiu a recomendação de Bolsonaro e afirmou que o ministério recomendária que as crianças de 5 a 11 anos sejam vacinadas contra a Covid desde que haja prescrição médica e assinatura de termo de consentimento pelos pais.
 

Aval da Anvisa
Apesar da recomendação do governo federal, quem define como será a vacinação e quais regras devem ser aplicadas são estados e municípios. O uso da vacina da Pfizer já foi autorizado pela Agência Nacional de Viguilância Sanitária (Anvisa) para a meninada entre 5 e 11 anos. A Anvisa é o orgão responsável pela palavra final em relação à liberação de vacina.

Mesmo com a recomendação da Anvisa, até o momento o Ministério da Saúde não adotou medidas para iniciar a aplicação da vacina em crianças. Ao invés disso, anunciou a realização de consulta pública para ouvir a sociedade a respeito da imunicação desse público.

Na nota divulgada em rede social, o governador de Pernambuco informou que "assim que a Pfizer entregar as vacinas indicadas para uso pediátrico, o que está previsto para o mês que vem, Pernambuco vai iniciar a imunização de crianças entre 5 e 11 anos."

"A vacina é segura, foi aprovada pela Anvisa e vai proteger nossos pequenos. É simplesmente inacreditável que um ano depois, o Governo Federal tente, pela segunda vez, desacreditar a vacinação. Para eles, mais de 600 mil vidas perdidas ainda não foi suficiente".

No Brasil, mais de 300 crianças desse grupo morreram vítimas da Covid desde março de 2020 segundo dados da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização da Covid-19

Na rede social, o prefeito do Recife, João Campos, tachou a ideia do presidente de burocrática. "Nosso objetivo é ampliar o acesso e salvar mais vidas, e não criar burocracias desnecessárias. Começamos a preparar um centro específico e vamos proteger nossas crianças!"

 

Post a Comment