MP DE ITABAIANA DIZ QUE EX-PREFEITO DESVIOU 1,7 MILHÃO COM COMBUSTÍVEL

A promotora de Itabaiana (PB) Drª Ana Carolina Coutinho informou na tarde desta segunda-feira (17.12.18), que o grupo criminoso supostamente comandado pelo ex-prefeito Antônio Carlos (MDB), desviou R$ 1,7 milhão da Prefeitura de Itabaiana somente com fraudes na compra de combustíveis.

“Só a titulo do que vem sendo investigado na Promotoria, na Polícia Civil e que já tem relatório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), não se comprovou o consumo de R$ 1,7 milhão em combustíveis. Isso é uma cifra bem pequena para o que vai ser elucidado. Só com 17 cheques que foram desviados, e que levaram as investigações que ensejaram as prisões de hoje (17.12), já chega a um valor de R$ 100 mil reais. Não tem como mensurar o valor do desvio de dinheiro público. Mas posso dizer que foram milhões”, afirmou à promotora.

Segundo ela, as fraudes começaram a ser investigadas em 2016, quando houve atraso no pagamento dos servidores da prefeitura. As investigações apontaram que os desvios se davam através da nomeação de funcionários fantasmas. “Eles nomeavam servidores fantasmas em cargos que nem sabiam que estavam nomeados. Essas pessoas eram pagas através de cheques. Pegavam esses cheques, endossavam, falsificavam a assinatura como se fossem as pessoas que estavam recebendo e recebiam na boca do caixa o valor ou repassavam a terceiros que pagavam os valores estabelecidos”, explicou à promotora.

Ela disse ainda que outras investigações estão em andamento e não descartou a participação de outras pessoas na quadrilha. O ex-prefeito Antônio Carlos, preso no início da manhã, é apontado como o cabeça da organização criminosa. “Outros casos de desvios também estão sendo investigados e envolvem muitas pessoas, mas a organização é encabeçada pelo ex-prefeito Antônio Carlos. Nós temos milhões desviados da Prefeitura. Enquanto isso servidores passaram meses sem receber os seus salários”, destacou.

Para dar continuidade às investigações, Ana Carolina Coutinho disse que está sendo realizada uma força tarefa com a participação de vários órgãos para apurar as denúncias. “Temos a ajuda do Gaeco do Ministério Público, do Tribunal de Contas do Estado (TCE), da Polícia Civil e do Poder Judiciário. Temos nos engajado com a finalidade de combater o crime de colarinho branco e buscar devolver essa verba a Prefeitura de Itabaiana”, afirmou a promotora.

Carlão Mélo com MaisPB

Compartilhe: