Fisiologista mostra confiança em elenco do Náutico e projeta “mini pré-temporada”

A preocupação com a manutenção da forma física dos atletas, com a paralisação das partidas na Copa do Nordeste e no Campeonato Pernambucano devido à pandemia do coronavírus, fez o departamento de fisiologia do Náutico traçar uma série de recomendações para os atletas, que treinam de forma isolada desde a última quarta-feira. Para o fisiologista Bruno Simões, no entanto, se depender do empenho dos jogadores, a perda será mínima.

Mesmo à distância, a gente tem um grupo que sabe que pode confiar. Eles são atleta e foram orientados na reunião final sobre a importância de se manter ativos e ter uma alimentação boa, evitando extravagâncias. São treinos para retardar a perda da massa magra, que é natural com redução das atividades, assim também como a capacidade respiratória, a capacidade pulmonar”, destacou.

Bruno ainda alerta para a necessidade de um aviso prévio da volta aos jogos, com intervalo suficiente para que os preparadores físicos promovam um retorno dos atletas à melhor forma física. “Esperamos ter ciência desse retorno uns sete ou dez dias antes das competições voltarem. Vamos fazer uma mini pré-temporada”, disse, antes de projetar. “Claro que alguns atletas vão chegar com a capacidade física diferente de outros, mas o objetivo é homogeneizar.”

O fisiologista também detalhou como o clube acompanha o trabalho dos atletas mesmo à distância. “A gente está tentando criar estratégias para que nossos atletas percam o mínimo no que diz respeito ao preparo físico e à performance. Sabe-se que de quatro a cinco dias de interrupção das atividades, o atleta mantém a capacidade. Porém, quando passamos mais de cinco ou seis dias de inatividade, começa a ter uma queda do rendimento da performance. É natural do organismo. Então a gente tem atualizado o percentual de gordura de cada atleta, desde o início da pré-temporada, em dezembro, a gente faz a cada mês, assim como peso e percentual de massa magra”, relembrou Bruno Simões.

“Vai ser importante neste momento, para quando tivermos o retorno dos atletas, refazer esse percentual e identificar como está a perda da massa magra e o ganho da massa gorda. Para que não percam muito, a gente recomenda treinos para que eles se mantenham ativos. A gente está monitorando isso e criando estratégias para controlar essa assiduidade”, completou.

Compartilhe: